Mordaz Mordedura

Antes de lerem este blog tentem ter bons dentes! Por vezes apetece morder, mas a sério, com força, com os dentes todos, naqueles que nos atormentam, principalmente naqueles que nos roem a carne. É isso que se pretende fazer neste blog: MORDER para sobreviver e respirar - com uma força MORDAZ.

13 fevereiro 2006

O choque de Sócrates


Ou o motivo da visita de Bill Gates?

O engenheiro (esta dos primeiros ministros serem engenheiros não me agrada mesmo nada...) comprou um novo portátil. Aquela porcaria era mais difícil de manusear que o outro... Até o quadradinho preto que faz de rato ainda é pior de mexer! O homem é muito homem e não gosta de esfregar os dedos naquilo, prefere agarrar um rato... Há quem diga que parece que está a acariciar a glande do parceiro... Enfim aquilo dos portátis é demasiado gay! Passada essa dificuldade, com a compra de um valente e másculo rato, havia que se ligar à internet. Mas, raio, foi difícil ligar ao Mariano Gago, o companheiro, o crânio, o génio, enfim, estava sempre ocupado.

Do diálogo nem vale a pena falar - aquilo era do género "Ó Mariano aquilo da internet está sempre fechado! Os gajos estão em greve? Ou fecha ao sábado?" "O quê? Como é que eu levo o rato até à janela de cima? Para já as minhas janelas estão sempre à mesma altura e além disso o fio do rato só tem 1 metro!!! Pôrra pá, estás mesmo a ficar senil..." "Na parte de baixo do écran a mensagem???" " Em baixo diz Sony e o rato também não chega lá...!" "Como é que os outros gajos conseguem ter passwords iguais de seis ou sete asteriscos e eu nem consigo criar a minha?".

Mariano não aguentou, a paciência esgotou-se, desligou, mandou cortar os telefones fixos e mudou para uma linha privada da Sonae... e Sócrates conseguiu falar com Bill Gates.
Este amante da caridade teve pena do Zézinho, teve pena de todo um povo dominado por um Zézinho, por um Vitinho Constâncio que ganha mais de 80.000 euros mensais, fora os extras, etc., teve pena de um país que de economia só percebe é ganhar cada vez menos em relação aos vizinhos espanhóis e pagar cada vez mais impostos e combustíveis cada vez mais caros. Teve tanta pena que acedeu em vir saber o que era o choque de Sócrates.

Quando Gates conseguiu perceber quais eram as dúvidas do Zézinho então foi-se fechar no WC e chorou desalmadamente. Os amigos de Gates até disponibilizaram lições de verdadeira economia, que se podem obter e imprimir gratuitamente (VEJAM O LINK POR BAIXO DO TÍTULO DESTA POSTAGEM). Concluiram que os ecomistas deste Portugal não eram economistas, eram ladrões licenciados. Que um País que julga que enriquecer é roubar dinheiro uns aos outros... que um governo que julga que para o país crescer é pagar SEMPRE ordenados de miséria... Os mestres americanos abandonaram essas teorias há anos... Os espanhóis que o digam!
Assim Bill disse que era impossível explicar qualquer coisa, valia mais tentar dar uma lição. Só que sem violência, sem a polícia prender todos os que andam a roubar os outros, era muito difícil.

Com toda a boa vontade de Bill a lição foi dada mas, na verdade, foi só para quem não quis ouvir...

30 janeiro 2006

Árvores do Alentejo




Horas mortas... Curvada aos pés do Monte
A planície é um brasido e, torturadas,
As árvores sangrentas, revoltadas,
Gritam a Deus a benção duma fonte!

E quando, manhã alta, o sol posponte
A oiro a giesta, a arder, pelas estradas,
Esfíngicas, recortam desgrenhadas
Os trágicos perfis no horizonte!

Árvores! Corações, almas que choram,
Almas iguais à minha, almas que imploram
Em vão remédio para tanta mágoa!

Árvores! Não choreis! Olhai e vede:
--- Também ando a gritar, morta de sede,
Pedindo a Deus a minha gota de água!


Florbela Espanca

27 janeiro 2006

A malta do Cavaco já faz das suas


Abram os olhos



Transcrevo este texto de www.portugaldiario.iol.pt, e podem vê-lo directamente no link supra criado:

"O destinatário é Fausto Correia. No remetente surge o logótipo da Presidência do Conselho de Ministros. O documento é sigiloso. O conteúdo, porém, tornou-se público. O PortugalDiário teve acesso a este fax que pede ao mandatário distrital de Coimbra da campanha de Mário Soares que convença um núcleo restrito a votarem Cavaco Silva ou em branco.

No documento, o remetente pede, em nome de José Sócrates, que «o núcleo de pessoas do partido envolvidas na campanha de Soares» [...] «tentem influenciar as pessoas que estão mais próximas, sempre pessoalmente, para que votem em branco, ou mesmo que votem no Cavaco, para assegurar que não haja 2ª volta, e o governo não saia fragilizado desta eleição».

Contactado pelo PortugalDiário, Fausto Correia negou ter recebido o fax, ripostando de imediato que «se tivesse recebido, denunciava imediatamente a situação na qualidade de mandatário distrital» de Coimbra.

Surpreendido pelo conteúdo desta missiva, Fausto Correia observa imediatamente uma contradição no texto: «Então pedem sigilo e mandam um fax?». As questões do eurodeputado não param: «E já agora, como é que se perde? Como é que se faz de propósito para perder? Isso não faz sentido nenhum. É uma falsificação, uma loucura».

Fausto Correia não tem dúvidas que esta «falsificação» parte do «aproveitamento da situação interna que o PS está a passar, e é feita com grande maldade». E é «alguém que quer tramar o primeiro-ministro, o que é uma perfeita loucura».

O eurodeputado garantiu ainda que se bateu «até ao último momento» na campanha do candidato apoiado pelo PS e, para que «não haja dúvidas», frisa o eurodeputado, Soares «era o candidato do secretário-geral» e José Sócrates «fez uma campanha cuidadosa e séria».

O fax vem assinado por Carlos Guerra, nome que não consta dos serviços da Presidência do Conselho de Ministros."

Esta falsidade é suficiente para acalorar os ânimos, para dividir ainda mais as bases do PS e para haver um rei na confusão, neste caso o eleito... Como se depreende a instabilidade, os jogos de sacanagem já estão a surgir... Depois digam que eu não avisei!!!

25 janeiro 2006

Temos cada vez mais segurança




"As forças de segurança espanholas desencadearam um processo de investigação, no âmbito do combate ao terrorismo, sobre a alegada compra de armas de fogo pelo grupo separatista basco ETA em Itália e vários países dos Balcãs. Em Portugal suspeita-se da criação de unidades de apoio logístico.

Segundo a imprensa espanhola, os contactos com redes de tráfico de armas no nosso país e em Itália já terão sido selados. Ao que parece a movimentação ‘desesperada’ da ETA nos últimos meses incluem ainda roubos e assaltos como tentativa de aquisição de explosivos."


Isto são tudo boatos. Na nossa fronteira ninguém passa sem ser revistado. Há imensa segurança em toda a nação. A diferença é grande. Basta ir ao Martim Moniz ou ao Largo do Intendente a partir das 17 horas para comprovar aquilo que se diz. Portugal está cada vez mais seguro. E para reforçar o sentimento de segurança podemos aceitar a proposta de uma caçadeira de canos serrados, um revólver de 9 mm, se for muito pesado compramos uma de calibre 6.35 mm, no Largo do Martim Moniz e depois vamos passear com um sentimento de segurança muito grande, apreciar os belos azulejos da Viúva Lamego, entre os frequentadores do Largo do Intendente.
Se eles pensarem em ameaçar-nos com uma seringa infectada, mostramos logo uma réplica de Smith & Wesson ou as pontas serradas de uma caçadeira, acompanhada por um largo sorriso de plena confiança e auto-domínio... Também podemos fazer o mesmo no sentido contrário, comprar no
Intendente e mostrar segurança no Martim Moniz... Agora digam lá se Lisboa não está a ficar mais segura? Ao fazer dos etarras nossos potenciais clientes eles ficam gratos e nunca pensarão em fazer qualquer atentado em território nacional... não iriam prejudicar o território onde se abastecem, são locais sagrados e mais seguros do que qualquer outra parte do mundo.

23 janeiro 2006

Quem és tu romeiro?


NINGUÉM !!! Até o Frei Luís de Sousa era ninguém...



Estamos tramados. Tirando as centenas de pessoas, mais o senhor Eduardo dos alumínios, que deram a cara para apoiar a candidatura de Cavaco, ninguém votou nele!
São coisas destas que dão piada à democracia portuguesa. São sempre os bimbos lá de cima ou é a malta dos BMW's e dos Jeep's. Nunca é mais ninguém... Nos transportes públicos ninguém foi, nos motoristas de táxi ninguém votou nele, os empregados do café até me disseram que se sabem de quem votou nele nunca mais lhe falam... A democracia é muito gira. Faz-me lembrar quando queriam explicar porque é que a UN - União Nacional salazarenta, que passou a chamar-se ANP- Acção Nacional Popular marcelista, ganhava sempre as "eleições" contra a CDE e a CEUD, contra quem viesse... Porque é que Humberto Delgado não ganhou... Na realidade ninguém votava nem na UN, nem na ANP, nem em Américo Tomás...
"Eu??? morte a esses gajos!... sou vítima do fascismo, sou explorado pelo sistema... eu nem saí de casa..."
"Mal empregado tempo que se perde a votar, mas eu fui votar no outro..."

Isto é mesmo típico do portugazinho que nem sabe assumir a porcaria que faz. O portugazinho eternamente cobardolas.
O oportunista que sabe aproveitar-se de gente assim consegue tudo o que quer. No nosso país é fácil Cavaco ganhar, tal como é fácil Bush ganhar nos EUA. Nós não somos tão estúpidos como os americanos, mas, sabemos imitá-los naquilo que há de pior. Nas juntas de freguesia, nas câmaras municipais, na assembleia da república, nas reformas milionárias, nas jogadas com os orçamentos para as obras, nos "jobs for the boys", enfim em tudo o que mexa com euros, aí está o portugazinho a roubar o próximo, a aproveitar-se da sua ignorância. Siga a festa. A música não pára ... estamos com a nossa gente.
Os europeus continuam a rir-se de nós. A OCDE ainda perde tempo a estudar os nossos vícios económicos.
Os nossos filhos continuam a ser ensinados por 90% de professores que nunca quiseram ser professores na vida, a formação profissional continua a tentar colmatar as brechas criadas por uma educação que não é orientada nem para o futuro, nem para o mundo do trabalho, nem para mundo nenhum. E as empresas continuam a pedir jovens com experiência, só se for experiência "for the boys".
O resto do mundo já nos vê como uma estirpe pior que os sul-amercianos vítimas de ditaduras militares. Aliás, somos fáceis de enganar. Basta mudar o nome às coisas e continuarem a dar-nos a mesma coisa. Passo a explicar. A censura acabou, foi extinta, dissolvida... A censura hoje é pior que no tempo da pide! Até nos programas em directo, sejam na rádio ou na tv, os censores, os agentes do sistema têm que saber previamente aquilo que vamos dizer. Nas estações radiofónicas, nas sic's, etc. eles está lá. São técnicos de "imagem", de "marketing" ou de "comunicação". São piores que os outros. São piores que esbirros ou que bufos. O pessoal ainda acredita que é para nos ajudar a comunicar... ainda agradecemos.
Isto continua a andar tudo para trás. O que dá é ser-se árbitro de futebol: são mil euros por jogo e basta fazer 3 jogos por mês para não se viver mal... se apitar sempre tudo contra o Sporting ou contra o Belenenses então faz 4 ou 5 jogos por mês, além do resto...
Aproveitando a ideia dos técnicos esbirros, censores ou bufos, estudiosos de mercado, vou organizar uma sondagem/inquérito a começar em Monção e a terminar em Vila Real de Santo António. Vou perguntar a todos os portugueses "quem votou no Cavaco?". Tenho que conseguir saber quem são os invísíveis, inaudíveis, inodoros 2.745.491 cidadãos que votaram nele !

20 janeiro 2006

Maldito pensamento

Há pensamentos que não me saiem da cabeça:
Se em 1976 os portugueses tinham um nível de vida superior ao dos espanhóis e um escudo valia duas pesetas...
Se em 1985 o nível de vida ainda era superior ao dos nossos vizinhos e uma peseta valia 0,8 escudos...
Se Cavaco Silva governou de 6 de Novembro de 1985 a 28 de Outubro (santo dia!!!) de 1995...
Se o governo mais longo, desde o 25 de Abril, foi o desse economista...
Se não há sombra nenhuma de dúvida que foram esses desgraçados 10 anos que arruinaram Portugal...

Então... para quê voltar a confiar nessa sinistra personagem???

Quem me explica o seguinte:

Os nossos vizinhos que tinham um nível de vida bastante inferior ao nosso, antes de Cavaco aparecer na cena política, estão no 8.º lugar do ranking dos países mais ricos! Ultrapassaram o Canadá...

Então... para quê voltar a confiar nessa sinistra personagem???
Então... para quê voltar a confiar nessa sinistra personagem???
Então... para quê voltar a confiar nessa sinistra personagem???...

Desculpem a insistência, mas os portugueses, descendentes dos descobridores e navegadores, descendentes de quem já viveu num dos países mais evoluídos e ricos do mundo - chamado PORTUGAL , que pretendem votar nessa sinistra personagem não são burros, não senhor, são suicídas!

Ah!... que pena não morar ou trabalhar perto da fronteira terrestre...

UM PAÍS DE POETAS

16 janeiro 2006

COMO SOMOS VISTOS PELOS VIZINHOS

O Instituto Político Social (IPS) e a OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico) produziram, em Lisboa (21/09/2005) uma análise crucial sobre o nosso desenvolvimento baseada em indicadores económicos e sociais apurados e divulgados pela UE. Os mesmos colocam Portugal em níveis de pobreza e injustiça social inadmissíveis para um país que integra “o clube dos ricos” da Europa desde 1986.

Esta análise foi conduzida por um espanhol, Mario de Queiroz, e também mostra bem:

  • como os nossos parceiros nos observam e nos analisam;

  • como Portugal se vai distanciar cada vez mais dos países avançados.

A produtividade mais baixa da UE, a escassa inovação e a vitalidade do sector empresarial, educação e formação profissional deficientes, mau uso dos fundos públicos e comunitários, com gastos excessivos e resultados magros são os dados apontados pela OCDE (que reúne 30 países industriais) na sua informação anual sobre Portugal.

Fomos muito diferentes de Espanha, Grécia e Irlanda (que também fizeram parte do “grupo dos pobres” da UE), não soubemos aproveitar para o nosso desenvolvimento os avultados fundos comunitários que vieram sempre de Bruxelas durante quase duas décadas – concluíram os analistas políticos e económicos.

Em 1986, Lisboa e Madrid ingressaram, na então Comunidade Económica Europeia, com índices de desenvolvimento relativo similares, e apenas há uma década atrás, Portugal ocupava um lugar superior aos da Grécia e Irlanda no ranking da UE. No entanto, em 2001, foi largamente ultrapassado por esses dois países, sem falar de Espanha que se colocou a pouca distância da média superior do bloco europeu.

A convergência da economia portuguesa com as mais avançadas da OCDE pareceu deter-se nos últimos anos, deixando uma brecha significativa nos salários por pessoa”, afirma a organização.

No sector privado, “os bens de capital nem sempre se utilizam ou aplicam com eficácia e as novas tecnologias não são rapidamente adoptadas”, afirma a OCDE.

A força laboral portuguesa conta com menos educação formal que os trabalhadores de outros países da UE, inclusive os dos novos membros da Europa central e oriental”, assinala o documento.

Todas os resultados apurados levam a concluir que o principal problema português não está nas receitas económicas, está, sim, nos métodos para as dsitribuir.

Portugal gasta mais que a grande maioria dos países da UE em remunerações de cargos públicos, afectando o seu produto interno bruto, contudo sem conseguir melhorar a qualidade e eficiência dos serviços.

Com mais professores por número de alunos do que a maiora dos membros da OCDE, é dos que menos consegue dar uma educação e formação profissional competitivas com o resto dos países industrializados.

Nos últimos 18 anos, Portugal foi o país que recebeu mais benefícios por habitante em assistência comunitária. No entanto, nos primeiros nove anos existiram indicativos de que estava no rumo certo para se aproximar da média europeia e, desde 1995, começou a queda e as perspectivas indicam uma queda cada vez maior.


Onde foram parar os fundos comunitários?”, é a pergunta que mais se faz em debates televisivos e em colunas de opinião dos principais periódicos do país. A resposta foi quase sempre a mesma: o dinheiro engordou as contas bancárias daqueles que já tinham mais.

Os números indicam que “Portugal é o país da UE com maior desigualdade social e com os salários mínimos e médios mais baixos do bloco”, pelo menos até 1 de Maio, quando este se ampliou de 15 para 25 nações.

Também é o país onde os administradores de empresas públicas têm os vencimentos mais altos.

O argumento mais frequente dos executivos é o de que “o mercado decide os salários”. Consultado pelos analistas do IPS, o ex-ministro das Obras Públicas (1995-2002) e actual deputado do PS, João Cravinho, desmentiu esta teoria afirmando que: “São os próprios administradores que fixam os seus salários”.

Nas empresas privadas com participação estatal ou nas estatais com accionistas minoritários privados, “os executivos fixam os seus vencimentos astronómicos (alguns chegam a 90.000€ mensais, incluindo bónus e regalias) com a cumplicidade dos accionistas de referência”, explicou Cravinho.

Estes mesmos grandes accionistas “são por sua vez altos executivos, e todo este sistema, no fundo, o motivo para o declínio do pequeno accionista, que vê uma grossa talhada de lucros ir parar às contas banacárias dos quadros directivos”, lamentou o ex-ministro.

(imagem extraída de www.offthewahl.com)



A crise económica que paralizou o crescimento português nos últimos dois anos “está sendo paga pelas classes menos favorecidas” e esta situação de desigualdade surge cada dia com exemplos mais variados. O último é o da crise no sector automóvel.

Os comerciantes queixam-se de uma queda de quase 20% nas vendas de automóveis de baixa com poreços entre os 10.000 e 15.000€.

No entanto os representantes das marcas de luxo, tais como Ferrari, Porsche, Lamborghini, Maserati e Lotus (veículos que valem mais de 150.000 €), lamentam não dar saída a todos os pedidos, perante um aumento de 36% de procura.

Estudos sobre a tradicional indústria têxtil lusa, que “foi uma das mais modernas e de melhor qualidade no mundo, demonstram a sua estagnação, “pois os seus empresários não realizaram os ajustes necessários para a sua actualização. Contudo, na zona norte onde se concentra o sector têxtil, encontram-se mais Ferraris por metro quadrado do que em Itália!”

Um executivo informático espanhol, Javier Felipe, disse ao IPS que segundo a sua experiência com empresários portugueses, estes “estão mais interessados na imagem que projectam do que no resultado do seu trabalho”.

Para muitos “é muito mais importante o automóvel que conduzem, o tipo de cartão de crédito que podem exibir ao pagar uma conta ou o modelo do telemóvel, do que a eficácia da sua gestão”, disse Felipe, esclarecendo que há excepções. “Tudo isto vai modelando uma mentalidade que, ao fim de contas, afecta o desenvolvimento de um país”, opiniou.

A evasão fiscal impune é outro aspecto que causou muitos retrocessos no sector público, na recuperação da crise económica e no desemprego, que este ano chegou a 7,3% da população economicamente activa.

Os únicos contribuintes fiéis para os cofres do Estado são os trabalhadores por conta de outrém, que descontam na entidade patronal. Nos últimos 2 anos o governo decidiu aplicar uma mão muito pesada sobre estes contribuintes, criando situações “obscenas” e “escandalosas”, segundo o economista e comentarista de televisão António Pérez Metello.

Em vez de anunciar progressos na recuperação dos impostos daqueles se continuam a rir na cara do fisco, o governo (conservador) decide sacar uma talhada ainda maior àqueles que já pagam mais do que o devido, e deixa incólume a nebulosa dos fugitivos fiscais, sem coerência ideológica , sem visão de futuro”, criticou Metello.

A prova está explicada numa coluna de opinião, de José Vitor Malheiros, no jornal “público”, que critica a falta de honestidade na declaração de rendimentos dos chamados profissionais liberais. Segundo os documentos entregues ao fisco, médicos e dentistas declaram proveitos anuais de 17.680€, os advogados 10.864€, os arquitectos 9.227€ e os engenheiros 8.382€.

Estes números indicam que por cada 6€ que pagam ao fisco “roubam 9€ à comunidade”, pois estes profissionais independentes deveriam contribuir com 15% do total de IRS e só tributam 6%, disse Malheiros. “Com o reembolso de IRS a fechar um exercício fiscal, os independentes roubam mais do que aquilo que pagam, como se um num talho nos vendêssem 400 grs. de bife e nos fizessem pagar 1000 grs.. Assim, existem 180.000 profissionais liberais que, em média, nos roubam 600 grs. por quilograma”, comentou com sarcasmo.

Para finalizar:

SE UM PAÍS “PERMITE QUE UM PROFISSIONAL LIBERAL COM DUAS CASAS E DOIS AUTOMÓVEIS DE LUXO DECLARE PROVEITOS DE 600 EUROS POR MÊS, ANO APÓS ANO, SEM SER MINIMAMENTE QUESTIONADO PELO FISCO, E, AINDA POR CIMA, RECEBE UM SUBSÍDIO DO ESTADO PARA AJUDAR A PAGAR O COLÉGIO PRIVADO DOS SEUS FILHOS, SIGNIFICA QUE O SISTEMA NÃO TEM NENHUMA MORALIDADE”. Esta é a triste observação final do IPS...

Enfim..nós...por cá? Tudo bem! É preciso é haver Cavacos, cavaquistas e outros quejandos...

CounterData.com

search engine optimization
search engine optimization Counter